Ueba^^

Uêba - Os Melhores LinksUm mundo de conteúdoEstá no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!Tedioso: Os melhores links

quarta-feira, abril 30

C5699 - a locomotiva abandonada de Kirishima

Fonte Fonte Fonte

Cupinchas! 
Compartilho com vocês, esta publicação do explorador "Kazuma Hakase" quando ele visitou as ruínas de uma locomotiva, aparentemente abandonada no meio do mato em Kagoshima, Japão...

Segue adaptação:
Já viram? 
Locomotiva C56 - a última parada
Fuji 3100 - A última parada


"Cidade de Kirishima, província de Kagoshima, Japão. Em um planalto, famoso por suas águas termais, Há algo que repousa em sua floresta.

O que é aquilo? É um pássaro? É um avião? Não...
...É a super locomotiva! (Sinto vontade de dar uns cascudos nesses exploradores, quando me forçam a traduzir esse tipo de piadinha¬¬' rusmea.com)
Seu nome é C5699, e esteve em atividade na província de Niigata.
A ferrugem tomou conta de toda a máquina e sua coloração está completamente marrom.
É inacreditável que esta máquina tenha andado um dia...
O veículo está cercado de vegetação, dificultando a chegada ao local.
A parte de encaixe que interligava um vagão de passageiros ou de carga.
A parte frontal da locomotiva.
No passado, esta máquina esteve colocada como enfeite, nos jardins  de um hotel.
Acima e abaixo, fotos do tempo em que a locomotiva esteve colocada como atração em frente ao hotel Youth.



Acima e abaixo, fotos do tempo em que a locomotiva ainda estava em atividade, tomadas em 29 de março de 1970.



O hotel se chamava Youth, mas para as crianças, era conhecido como o lugar em que havia um trem.
No entanto, o hotel foi a falência e a locomotiva foi removida para este local, ficando abandonada por mais de 30 anos.
Na cabine de controle, a ferrugem também tomou conta.
Há vários medidores e reguladores, dando a impressão de ser um veículo difícil de controlar.
O lado esquerdo da locomotiva se transformou em uma selva.
O local onde era o assento do maquinista. 
Quantas pessoas existem hoje em dia que sabem conduzir uma maria-fumaça?
A janela do lado contrário. 
O campo de visão era bastante estreito a partir da cabine da locomotiva.
Na parte de trás há um porta carvão, quase do tamanho de um vagão. 
O carvão era retirado por essa portinhola.
Há várias espaços com portas. 
O que será que guardavam nelas?
Cada uma destas válvulas, deveria desempenhar um papel muito importante na condução deste colosso de metal.
Algo jaz pendurado. 
O que seriam estes objetos?
O teto está descascado e se pode ver a luz do sol pelas frestas.
A caldeira. 
O carvão era inserido por esta porta.
O porta carvão. 
A nossa geração nem sabe o que é carvão mineral...O que acontece quando se queima?
De volta à cabine do maquinista. 
Há várias alavancas.
Há algo saindo do piso. 
Por mais que eu goste de máquinas e tenha espremido todo o meu parco conhecimento, não consegui identificar que objeto é esse.
O lado oposto ao do assento do maquinista.
O contraste entre o marrom e o azul. 
Sem dúvida é um belo espaço.
O corpo amarronzado de ferrugem está sendo tomado pela vegetação.
Está sendo engolido pela natureza.
A vegetação cerca o veículo e mal dá para se aproximar.
Uma grande rodovia passa aqui pertinho, mas sem saber da existência desta locomotiva, seria praticamente impossível de descobrir a sua localização.
Parece que a parte interna da cabine era pintada de branco no seu tempo de atividade.
Esta era mais ou menos a visão que o maquinista tinha à sua frente.
O degrau para subir na locomotiva.

A parte de baixo da máquina, do lado contrário. 
Esta parte ainda possui a tinta preta original.
Há mangueiras enroscadas. 
Será que o vapor passava por essas peças?
Tomei esta foto a partir da parte de baixo da cabine do maquinista. 
A cena me causou a sensação de estar vendo uma deidade.
O longo ferro característico que une as rodas da locomotiva. 
Parece que a falta dessa peça, pode resultar em descarrilamento.
Ultrapassando a coloração marrom, já se pode dizer que a cor está vermelha...
Será que as águas termais próximas, influenciam na oxidação?
O corpo do titã de metal está se transformando em um arbusto. 
Se esta máquina tivesse uma alma, o que ela pensaria?
Talvez nunca mais volte a funcionar... 
Mesmo assim, o veículo continua com um ar robusto e imponente.
Um imenso farol que iluminava os trilhos por onde passava.
Foto tomada de cima, ao escalar a parte da frente da locomotiva.
Lá no fundo está a cabine de controles, que mal dá para se ver devido a vegetação.
A parte de cima. 
Infelizmente a chuva está atrapalhando esta exploração...
Ao pensar que ela seria lentamente devorada pela vegetação, algo inesperado aconteceu...
Em 2009, a prefeitura de Kirishima obteve a posse da locomotiva e ainda, ela foi transladada ao parque 'Dachou Dream Ecoland' (Parque ecológico das avestruzes) da cidade de Satsumasendai...
...Onde lá, ela renasceu, pintada de várias cores e colocada como atração, fazendo a alegria das crianças.
Esqueci do tempo explorando através da vegetação molhada e ao terminar, este era o estado das minhas calças."
Uhull! 
Que alegria cupinchas! 
Fotos acima e abaixo de quando a locomotiva estava sendo reformada em Satsumasendai.


Fotos de como se encontra atualmente, a gloriosa atração do parque 'Dachou Dream Ecoland'.
No escudo à esquerda, está escrito futuro (未来 - Mirai) e no escudo da direita está escrito Sonho (夢-Yume) NDT. rusmea.com 








Legal né cupinchas? 

As 100 ruínas do rusmea.com^^

http://www.rusmea.com/2014/04/as-100-ruinas-do-rusmeacom.html



Abrax^^

Assinatura: Não vá embora ainda!Passe na página inicial AQUI e confira outros posts!
Os emoticons espalhados pelo blog são sonoros, clique neles mas cuidado com o volume!
Lista de todos os Smyles sonoros AQUI

Um comentário:

Anônimo disse...

De acordo com a leitura dos medidores de pressão a caldeira desta locomotiva parece que suportava 25 quilos de pressão por centímetro cúbico.