Ueba^^

Uêba - Os Melhores LinksUm mundo de conteúdoEstá no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!Tedioso: Os melhores links

quarta-feira, dezembro 4

Explorando o hotel abandonado Satikaze

Fonte 


Cupinchas! Riso 

For 
Hoje eu compartilho esta exploração a um hotel tradicional abandonado, que esteve em operação até o ano de 1990.
Do mesmo explorador que fez a matéria sobre as ruínas do Muran Otome Riso 

For 

Segue adaptação:

"Em um certo dia, sob um céu fresco e claro, me dirigi à uma certa famosa cidade por suas águas termais e minas de ouro, na região oeste de Izu, província de Shizuoka, Japão.
Lá existe um lugar alto em que se pode avistar toda a baía de Suruga e onde está localizado o alvo desta exploração.
O hotel esteve operante na era Showa (1926 - 1989), onde recebia inúmeros hospedes, mas hoje em dia, não é mais nem a sombra do que foi em seus gloriosos dias.
Se pode sentir na pele, a outrora prosperidade que não volta mais...

Com muito custo, finalmente eu cheguei ao hotel...
Toda a propriedade está cercada pelo verde, criando uma atmosfera delirante de abandono.
Foram várias horas procurando o lugar...
...Mas a alegria de chegar aqui, compensou a perda de tempo.
Encontrei uma escadaria e o coração bateu mais forte ao subir por ela.
As trepadeiras (Parthenocissus tricuspidata) tomaram conta do lugar. 
Tão belas que chegam a ser uma obra de arte.
As janelas nesta parte estão todas destruídas...
Há torneiras do lado de fora.
Talvez para que aqueles que tomassem banho de mar, se lavassem antes de entrar.
Aqui era um vestiário.
Parece que era um hotel em que se podia ir caminhando até o mar.
Fora os trocadores e uma cadeira de abrir, não há muita coisa por aqui.
Um banheiro.
Próximo da entrada, há várias chinelas espalhadas. (É comum trocar os sapatos, por chinelas exclusivas quando em hotéis. NDT. Riso For rusmea.com)
Por trás das trepadeiras, encontro este ninho de passarinho.
Aqui era uma sala para aquecimento d'água.
Provavelmente essa água quente abastecia alguma piscina, que era desfrutada pelos hóspedes como um tipo artificial de águas termais.
Por dentro do hotel.
Este é o aspecto do andar térreo, com alguns quartos de hóspedes.
É sempre bom verificar onde fica a saída de emergência.
Esta parte é bem escura e assustadora.
Preciso tomar as fotos com flash daqui em diante.
As fotos saem melhores com uso do flash.
Pichações fazem parte de ruínas...
Esta escada na penumbra dá um pouco de medo...
Mas sou obrigado a usá-la para chegar no segundo andar.
O segundo andar é bem mais iluminado.
Começo verificando o quarto 201.
Diferente do que eu imaginava, o interior está bem limpo e organizado.
Este biombo tem a pintura de uma floresta de bambu, cuja arte se parece com a de Kano Eitoku.
Um aparelho de telefone, cuja linha se encontra pendente.
Quanto será que fica a conta de telefone, de uma linha ainda ativa como esta?
Um belo espelho de parede.
As luminárias do teto, que parecem novas, não foram removidas.
O tapete azul e o verde das heras. 
Só falta o vermelho do pôr-do-sol para ficar perfeito.
Ruínas adornadas pela natureza como esta, são o máximo!
A seguinte habitação é o número 202, que basicamente é igual ao quarto anterior, cujas trepadeiras chegaram até aqui também.
O mapa do hotel.
Fico tentado a levá-lo embora...
Uma lanterna.
Trepadeiras combinam tanto com lugares abandonados, que esta vista ficou formidável.
Uma placa de 'extintor de incêndio' caída.
O próximo quarto é o 203.
Aqui há alguns itens desprezados.
Naquele tempo, quais seriam os pensamentos de quem sentava nesta cadeira?
A vegetação cobrindo as janelas, causam a estranha sensação de que estou dentro de Lapunto, a cidadela no céu do anime de Hayao Miyazaki. (Lapunto! Riso For Pois o nome verdadeiro soa a palavrão...Riso For rusmea.com)
Na penumbra, tenho a estranha sensação de ver duas pessoas conversando sentadas nessas cadeiras...
Saio dos quartos e me dirijo às escadas de emergência...
Que estão totalmente inutilizadas...
Um pequeno depósito debaixo da escada.
Aqui deveria ser o local para preparo e abastecimento de chá para todo o hotel.
Algumas térmicas vintage.
Acho que até dá para reaproveitar alguns destes itens.
Uma lata de lixo vintage.
A vassoura parece não ter mais utilidade aqui.
O papel colado na porta de um quarto de banhos diz: 'Em conserto. Proibido entrar ou utilizar o quarto de banhos'.
Este é o quarto de banhos masculino.
Armário de toalhas.
A banheira/Ofurô.
Os tradicionais banquinhos e as bacias, utilizadas pra o indivíduo se lavar bem antes de entrar no Ofurô.
Há alguns itens abandonados por aqui, como esta saboneteira.
As lajotas das paredes, muito utilizadas na décadas de 1970-80, denunciam mais ou menos a época da construção deste hotel...
Há um imenso buraco no forro do teto do vestiário.
Provavelmente feito por vândalos...
Um banheiro.
As pias.
Há várias chávenas (Yunomi) para chá, espalhadas...
Lembrei que existe um boato de que um sem-teto, estaria morando nestas ruínas...
No fundo deste corredor, está a suíte VIP 207. 
Mas antes de ir lá, dou uma olhada no quarto 205.
O 205 é praticamente igual aos outros quartos.
O condicionador de ar não foi removido.
Certamente ainda funciona, por mais que consuma muita energia elétrica, já que é um modelo bastante antigo.
Há vários acolchoados também.
É impressionante que após mais de 20 anos de abandono, eles ainda mantenham a sua forma.
Uma propaganda impressa.
Só o fato de mandarem fazer panfletos, já demonstra o profissionalismo que regia este hotel.
Do outro lado do panfleto, aparece o clássico navio de peixe cru fatiado. (DILIÇA!Riso For rusmea.com).
Um cartaz com as instruções para guardar objetos de valor nos cofres individuais de cada quarto.
Apesar da indicação, não encontrei nenhum cofre...
Uma portinhola para a passagem de comes e bebes.
Este é o 206.
Está bastante destruído.
As lâmpadas fluorescentes do quarto foram destruídas.
De onde será que saem esses vândalos que fazem isso?
Somente este quarto possui um aparelho de telefone.
Mas como se faz uma chamada com um troço desses?
Uma cadeira com design retrô.
Dentro dessa caixa, há uma faixa usada para amarrar o roupão de banho.
Alguns acolchoados.
O 207 parece ser mais luxuoso do que os outros.
Uma grande quantidade de acolchoados.
Espirais repelentes de mosquitos e cinzeiros.
Uma embalagem de almôndegas sabor teriyaki, cujo prazo de validade seria até julho de 2010...Ou seja que há pouco tempo atrás, alguém esteve aqui...
O nostálgico regulador do condicionador de ar.
Um aparelho assim, me faz sentir o espaço de tempo que nos separa daquela época...
Algumas revistas para o público adulto. (SAFADINHOS! Riso For rusmea.com)
A sacada do quarto 207.
Em um canto do quarto, há um porta-espiral repelente de mosquitos, com forma de porquinho (Bem típico Riso For rusmea.com).
Um jornal de 1988.
Publicado antes que este explorador nascesse...
(Em letras garrafais: "Aterrissagem de emergência com apenas 1 motor" Riso For  rusmea.com)
Me dirijo ao terceiro andar.
Esta é a vista da escada.
Andar à noite por aqui, com certeza deve ser uma experiência aterradora...
Mais um banheiro.
A típica privada oriental.
(A terrível "motoquinha". Riso For rusmea.com)
No terceiro andar se encontra o refeitório...Em um estado lastimável...
A estande com o cardápio do dia.
Nessa cristaleira, ficavam à mostra as reproduções de comida. (Comida de plástico. NDT. Riso For rusmea.com)
Uma antiga máquina de venda automática de cerveja, da marca Sapporo.
Lá fora, uma belíssima vista se estende.
Mas aqui dentro, o cenário não perde em beleza. (Pelo menos para nós "ruineiros..." Riso For rusmea.com)
A cozinha do refeitório...
...Está bastante destruída, mas ainda se encontram muitos objetos daquele tempo.
Uma antiga panela de arroz elétrica.
Parece que as pessoas do período Showa (1926 -1989), gostavam mesmo de coisas adornadas com desenhos de flores.
O fogão da cozinha do hotel.
Esses modelos geram bastante calor.
O exaustor com a persiana fechada.
Muitas tigelas e pratos jazem abandonados.
Há muitos objetos neste refeitório.
Os barquinhos 'Funamori'.
(Sobre esses barcos de madeira ou de plástico, são servidas as postas de peixe cru em praticamente todos os hotéis do Japão. NDT. Riso For rusmea.com)
Há alguns desses barcos sobre a prateleira.
Uma caneca com o desenho de uma versão da bonequinha Kewpie.
Os servidores de molho de soja, com o conteúdo ainda na forma líquida.
É curioso que mesmo após mais de 20 anos de abandono, os molhos não tenham evaporado.
Um saco de bolinhos de arroz batido (Mochi) da marca Shingen.
Vários pratos caídos, no qual, eu imagino que pela ação do terremoto de 11 de março de 2011...
O balcão onde a comida preparada era colocada para que o hóspede se servisse.
Uma caneta, borracha de apagar e chaves.
Um cartaz de uma empresa de gás.
Um anúncio no jornal onde aparecem os carros da época.
(São vários os carros anunciados no jornal que aparece na imagem, tais como o March, Leopard, Sefiro e em letras garrafais: "É um veículo que alcança o coração". NDT. Riso For rusmea.com)
Conchas de vieiras.
O molusco é muito apreciados em hotéis tradicionais.
A porta de entrada e saída da cozinha que leva ao lado de fora.
O logo da marca de refrigeradores Hoshizaki, com o pinguim em design de época.
Saí da cozinha e uma vista geral, mostra o estado de destruição.
Esta era a parte onde ficavam as mesas do refeitório.
Não é muito espaçoso como normalmente são esses lugares.
Um dos lados possui janelões de vidro, onde se pode apreciar a vista.
Uma televisão bastante antiga.
Uma caixa crivada de bolinhas BB. (utilizadas em armas alimentadas com ar comprimido em guerrinhas, semelhante ao Paintball. NDT. Riso For rusmea.com).
O hotel está tão depredado assim, por causa desses 'guerrilheiros'...
Gás inflamável em spray. (Para uso em fogões portáteis. NDT. Riso For rusmea.com)
É melhor não me aproximar muito, já que os vasilhames estão enferrujados e podem explodir à qualquer momento...
Um capacete para emergências com o nome do hotel Sachikaze.
Por um momento pensei que a natureza estava tratando de dominar o hotel...Mas daí vi que essas plantas são de plástico.
Esta foto eu tomei da sala do refeitório, mostrando o balcão onde a comida era servida.
A vista pelos janelões é fantástica.
Se pode ver algumas plantações de arroz e o mar ao fundo.
Há uma antiga máquina de lavar abandonada na sacada.
O detalhe da máquina de venda automática.
O detalhe da parte de baixo da máquina.
O jeitão, as cores e outros detalhes, tem os ares dos anos 1960.
Na pichação está escrito algo como: 'Eu, estou fora do jogo!!'
A escada que leva ao terceiro andar.
O primeiro quarto do terceiro andar parece que era usado para grupos de hóspedes,  já que é relativamente espaçoso.
Um desenho bastante estranho... 
Aqui também a vegetação está tomando conta, fazendo deste lugar uma bela ruína...
As trepadeiras já adentraram a habitação.
Eu gosto muito de imagens como esta.
É para tomar fotos assim, que vale a pena explorar lugares abandonados:)
Eu até gostaria de me sentar nesta cadeira e ficar o dia todo sem fazer nada.
O tapete azul está em boas condições, mas o janelão aberto vai destruí-lo em pouco tempo...
Eu não posso fechar, pois a regra para quem explora lugares abandonados, é não mexer em nada...
Alguns roupões de banho.
Há uma porta no final do corredor.
Um ramo de trepadeira parece estar tratando de entrar aqui à força...
Parece que essa porta dá em uma escada de emergência (destruída), no entanto, ela não abre mais do que isso.
Me dirijo ao quarto andar. 
No caminho, encontro um vasilhame com caracteres substitutos para 'lata de lixo' (As letras formam algo como "Caixa que protege a beleza", ao mesmo tempo que a pronúncia continua sendo "Gomi bako" ou "Lata de lixo". NDT. Riso For rusmea.com)
Abridor de garrafas, pazinha para jardinagem e chaves de sabe-se-lá que lugar.
Um banheiro feminino...
...Cuja privada é bastante estranha.
A escada que leva ao quarto andar está em um estado lastimável...
O que pensei ser o quarto andar com mais habitações, resultou ser o terraço do hotel.
Se não estivesse tão nublado, a vista daqui seria ainda mais bonita.
Esta é a entrada principal e logo à esquerda está a recepção.
Como comecei a exploração pelos fundos, só agora achei espaço na postagem para apresentá-la.
Esta é a recepção do hotel.
Apesar de encontrar vários objetos abandonados, a devastação é grande atrás do balcão.
Asbesto/Amianto...
Chega a doer os olhos ver tanta bagunça...
Mas ainda bem que os vândalos ainda não incendiaram o local...
Um artigo no jornal que me faz sentir o peso dos anos...
Apesar do artigo falar sobre informática, a internet ainda não estava disponível para todos naquele tempo. 
(Em letras garrafais: "Estudantes de ciências e tecnologias, serão 'super populares' neste ano". NDT. Riso For rusmea.com)
Como é possível que parem de trabalhar e deixem tantos objetos abandonados?
Há muita informação privada em formulários e em documentos por aqui...
Até mesmo uma garrafa de uísque ainda lacrada...
(Lembrei do mio padrino cachaceiro, Zottti di Corleone Riso For rusmea.com)
Um carimbo de datas.
Uma caixa com diversos outros carimbos.
Todo o escritório é composto por 3 salas, com tamanho de 4 tatames e meio a 6 tatames.
O calendário de 1990, mostra o ano da desativação do hotel.
Fecharam antes de eu nascer...
Aqui parece que era uma sala de descanso para os funcionários.
Ok. 
Com isso explorei todas as salas e habitações do hotel.
Aqui começo a me despedir destas ruínas.
E deixo o hotel Sachikaze para trás...

Bônus:
Reuni as fotos dos vasilhames de refrigerantes que encontrei por todo o lugar e posto aqui para que apreciem."

















Dá pra viajar legal com um lugar desses né cupinchas? Riso For 

Abrax^^

Assinatura: Não vá embora ainda!Passe na página inicial AQUI e confira outros posts!
Os emoticons espalhados pelo blog são sonoros, clique neles mas cuidado com o volume!
Lista de todos os Smyles sonoros AQUI

7 comentários:

Noite Sinistra disse...

Show de bola esse lugar...o senhor tem mostrados lugares abandonados incríveis, esse é mais um deles...parabéns Rusmea...

Rus mea disse...


Arigatou Noite^^

Abrax^^

Adriana Dias disse...

É uma viagem no tempo olhar/acompanhar as suas explorações!
Visito constantemente o site para conferir as novidades.
Ótimo trabalho! Parabéns!

Rus mea disse...


Obrigado Adriana^^

Estou preparando mais^^

Abrax^^

Marcelo disse...

Caramba, eu tb acho incrível essas explorações.. Como podem deixar tanta coisa para trás e o tempo fazer seu trabalho... Rusmea, fale um pouco sobre você.. vc é brasilieiro? Mora no japão? Faz isso como trabalho ou como curtição? Nunca pegou nenhum souvenir nessas explorações? Não experimentou o wisky aí desse hotel?
Um abraço e obrigado por compartilhar.

Marcelo disse...

esqueci de pressionar o "notifique-me", portanto, se pude responder, responda aqui. Obrigado.

Rus mea disse...


Não Marcelo!^^

Estas postagens são adaptações de postagens do "ruineiros" japoneses, ou seja, eles fazem a exploração e publicam, eu por minha vez, apenas traduzo, adapto ao português e publico aqui no rusmea.com^^

Eu praticamente nunca estive em lugares abandonados (Uma vez só^^)

Mais detalhes sobre minha humilde pessoa e a deste pequeno blog de culinária aqui:

http://www.rusmea.com/2013/09/cronicas-origem-deste-estranho-blog-de.html

Obrigado pelo comment^^

Abrax^^