Ueba^^

Uêba - Os Melhores LinksUm mundo de conteúdoEstá no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!Tedioso: Os melhores links

quinta-feira, julho 18

Caleuche - o navio fantasma de Chiloé

Fonte Fonte Fonte                                                                                                       


Cupinchas! Riso For 
Algum tempo atrás, quando estava fazendo o post sobre as palafitas coloridas de Castro em Chiloé, o rusmea.com aqui, tropeçou na informação sobre uma lenda de um navio fantasma pouco conhecido na Web Brasil Riso For 

Segue adaptação:

"Conta a lenda que o Caleuche é um navio que navega pelos mares de Chiloé e nos canais do sul do Chile, tripulado por bruxos poderosos, e nas noites escuras, navega iluminado. Dizem que dele, emana música sem cessar e se oculta no meio de uma densa neblina, que ele mesmo produz. Jamais navega à luz do dia.


As lendas sobre o navio fantasma contam ainda muitas outras peculiaridades.
Se casualmente uma pessoa se aproxima, o Caleuche se transforma em um simples tronco flutuante e se o indivíduo tenta se apoderar do madeiro, este foge.
Outras vezes se converte em uma rocha ou em outro objeto qualquer e fica invisível.
Seus tripulantes se convertem em lobos marinhos ou em aves aquáticas.


Os que chegaram a avistá-lo(e sobreviveram para contar a história suponho eu...Riso For rusmea.com), relatam que os tripulantes têm apenas uma perna para andar e a outra estaria dobrada nas costas, portanto andariam saltando e toda a tripulação seria de tontos desmemoriados, para assegurar o segredo do que ocorre a bordo.



O Caleuche, não deve ser avistado, pois os tripulantes castigam as testemunhas, lhes fazendo a boca ficar torta, a cabeça ser virada para trás ou lhes matando de repente, por arte de bruxaria. Os que queiram ver o navio sem sofrer o castigo da torcedura, deve tratar de que os tripulantes não percebam a sua presença.


Esse navio navega próximo da costa e quando se apodera de uma pessoa, a leva a visitar cidades do fundo do mar e lhe mostra imensos tesouros, a convidando a participar deles com a única condição de não divulgar o que foi visto.
Ao não guardar segredo, os tripulantes do Caleuche o matam na primeira ocasião em que voltem a se encontrar com ele.


Todos os que morrem afogados são recolhidos pelo Caleuche, que tem a capacidade de navegar submerso e aparecer no momento preciso para recolher os náufragos e prendê-los no que será a sua mansão eterna.
Quando o Caleuche precisa consertar seu casco, escolhe de preferência os barrancos e precipícios à beira-mar, e ali, à altas horas da noite, procede o trabalho.


As origens da lenda do Caleuche têm duas vertentes. A primeira, quanto ao significado da palavra no idioma Mapudungun 'kalewtún' - mudar de condição, e 'che' - gente. Isto é, 'gente mudada de condição'. A segunda tem a ver com o desaparecimento de um navio holandês apelidado de 'Calanche'.
O que sim está claro é a sua aparência. Similar à de um navio escola iluminado e de festa, o Caleuche emerge no meio da escuridão do sul Chileno, tentando dar alegria e entretenimento à espera imortal de seus tripulantes.


No entanto, ninguém conhece suas rotas nem portos.
Podendo ser visto em anos bissextos navegando por Chiloé, principalmente nas proximidades de Castro.
Sua capacidade de deslocamento o faz inacessível, podendo se desfazer em um nevoeiro que ele mesmo provoca.


Algumas outras versões da lenda, falam que os tripulantes do barco são pessoas muito bem vestidas, onde a única coisa estranha é a frieza de suas mãos. Normalmente recrutam a bruxos, mas o resto da tripulação são de marinheiros mortos no mar, pescadores aprisionados, afogados ou, inclusive, crianças vendidas, devido a que alguns pais entregam a seus filhos com o objetivo de que o Caleuche os abasteçam de todo o tipo de mantimentos.


Ainda nessas outras versões da lenda, além de transportar bruxos e de ser o lar dos desafortunados, a atividade principal do Caleuche seria mercantil, especificamente, de contrabando. Muitas pessoas dos esquecidos portos do extremo sul Chileno, realizam pactos com a tripulação, assegurando-se de que terão sempre as suas lojas bem abastecidas.


Contam em Chonchi, que um pai ao saber do desaparecimento do bote de seu filho, longe de ficar triste, esboçou um estranho sorriso. Dessa data em diante, o homem começou a enriquecer, seu filho não apareceu mais e à noite, os seus vizinhos escutavam as correntes dos marinheiros imortais do Caleuche, levando a mercadoria. O pagamento por isso claramente havia sido o seu filho..."

Bônus:

"Era uma noite escura, sem Lua e  totalmente coberta de nuvens. Por isso ele estranhou ao ver umas luzes no céu, que se moviam de um lado a outro. Logo compreendeu que eram o reflexo nas nuvens de umas luzes que nasciam no solo, há algumas centenas de metros adiante dele. Em seguida começou a ouvir uma estranha música. Foi se aproximando discretamente e quanto mais perto estava, melhor ia percebendo o quão era maravilhosa aquela música, a mais formosa que tinha escutado em sua vida...

Local do avistamento

...Espiando discretamente por trás das dunas pôde ver que o Caleuche estava ancorado no meio da parte mais larga do rio Pudelle, já quase onde desemboca no mar. E que toda a tripulação dançava com mulheres belíssimas ao ritmo daquela música. A luz que envolvia a todos eles e ao próprio barco era sobrenatural, parecia sair do interior deles mesmos e era uma luz branca e celestial." 
Relato de Ricardo Ampuero que teria visto o Caleuche em 1930.

Pensei que era só uma lenda!Riso For 

Update! 
Detalhes adicionais:
Cupinchas! Riso For 
Nos comentários, uma atenciosa leitora nos deixou estas deliciosas informações: Riso For 

"Holá Husmea, como `tai? 

Sou chilena da região de Penãflor (próximo a Santiago), e, embora nunca tenha visitado Chiloé conheço a lenda do Caleuche, inclusive meu pai tem uma miniatura do navio em cobre. 

As criaturas descritas como "tontas, de pouca inteligência e com uma perna torcida nas costas" são chamadas de ivunches. 

Um ivunche nasce como uma criança normal. Ele é sempre um menino, filho primogênito do casal que é seqüestrado pelos bruxos ainda na infância. A intenção dos feiticeiros é transformar essa criança em um escravo sem inteligência por meio da magia. 

Depois que um menino é convertido em ivunche ele nunca mais volta a ser humano. 

Para evitar que seu filho seja seqüestrado, você deve batizá-lo com água benta poucos dias após o nascimento."

Muito obrigado pela participação!Riso For 

Abrax

Assinatura: Não vá embora ainda!Passe na página inicial AQUI e confira outros posts!
Os emoticons espalhados pelo blog são sonoros, clique neles mas cuidado com o volume!
Lista de todos os Smyles sonoros AQUI

2 comentários:

Anônimo disse...

Holá Husmea, como `tai?

Sou chilena da região de Penãflor (próximo a Santiago), e, embora nunca tenha visitado Chiloé conheço a lenda do Caleuche, inclusive meu pai tem uma miniatura do navio em cobre.

As criaturas descritas como "tontas, de pouca inteligência e com uma perna torcida nas costas" são chamadas de ivunches.

Um ivunche nasce como uma criança normal. Ele é sempre um menino, filho primogênito do casal que é seqüestrado pelos bruxos ainda na infância. A intenção dos feiticeiros é transformar essa criança em um escravo sem inteligência por meio da magia.

Depois que um menino é convertido em ivunche ele nunca mais volta a ser humano.

Para evitar que seu filho seja seqüestrado, você deve batizá-lo com água benta poucos dias após o nascimento.

Rusmea R. M. disse...


Muchas gracias por la información^^

De verdad que ni idea tenia a cerca de esos detalles^^ Que chébere^^

Ya añadi al post^^

Besucones!^^

Abrax^^