Ueba^^

Uêba - Os Melhores LinksUm mundo de conteúdoEstá no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!Tedioso: Os melhores links

sexta-feira, novembro 23

Forca, o atual método de execução Japonês...

Fonte Fonte Fonte
Fonte Fonte Fonte
Fonte Fonte

Como havia dito no final do post Métodos e ferramentas de execuções Japonesas, esta postagem é exclusiva sobre a forca, o atual método de execução no Japão.

Quero deixar claro que meu objetivo é apenas compartilhar informações. 
Não quero criar polêmicas, dividir opiniões ou tratar deste tema sério com leviandade.Riso For

Segue:

Centro de Detenção de Tóquio




Fiquei surpreso com a primeira apresentação ao público do complexo subterrâneo de execuções no centro de detenção de Tóquio.
Segundo a reportagem, o jornalista seguiu até o local de execuções dentro do complexo, num micro-ônibus com as cortinas fechadas.
Portanto, o local exato das execuções em Tóquio, ainda é um mistério...

Entrada para o complexo


Mapa do prédio de execuções:



Primeiramente, na entrada do prédio há uma sala chamada de "sala de instrução", onde anunciam ao preso a sua sentença.



















Essa mesma sala é usada também para que o condenado escreva um testamento sobre os seus poucos pertences pessoais ou carta aos familiares.
Na parede há um altar Budista, que no caso do indivíduo ser Cristão, o altar é fechado e é colocada uma Cruz, além da presença de um sacerdote.
Quase o mesmo para o caso de ser Xintoísta, no qual é colocado Um altar Xintó com formato de casa.(Kamidana)
Em seguida, o preso passa por um corredor em direção a "Ante-sala".


















Na ante-sala também há um altar, onde o sentenciado pode fazer ainda suas orações, comer algum doce ou beber algum refrigerante e acender o seu último cigarro. (Não sei se ainda é possível fumar, devido as rígidas leis contra o tabagismo)
Após esse tempo, que dura no máximo 30 minutos, o condenado é algemado, vendado, enquanto as cortinas da sala de execuções ao lado são abertas, ou seja, o preso não vê o local onde será executado.





O sentenciado é colocado sobre o alçapão e segurado por 2 guardas enquanto um terceiro carcereiro amarra as suas pernas, esse mesmo guarda coloca a corda bem justa no seu pescoço.
Outros carcereiros ficam a postos todo o tempo para evitar que o preso sofra algum acidente durante todo o percurso, ou para dar apoio no procedimento.











Atrás de uma cortina em uma saleta anexa, 3 botões aguardam o momento da execução.
Para evitar danos psicológicos nos executores, esses botões são acionados por 3 carcereiros que não sabem qual dos dispositivos abre o alçapão.

Detalhe das alças que prendem a corda:


Detalhe da roldana no teto por onde passa a corda:


Devido a que não permitiram a exibição da corda nesta reportagem, o Jornal mostra a corda usada no local de execuções de Nagoya nos anos 50:





Tudo é assistido através de uma janela que dá para a "sala das testemunhas".



Visão da "sala das testemunhas":
















5 minutos após a queda do sentenciado, um médico faz a constatação de óbito.
O cadáver é desamarrado, colocado em um caixão e levado ao segundo andar pelo elevador.
Não foi permitida a entrada da imprensa no andar de baixo.

Vídeo da reportagem que mostra o local e fonte de grande parte desta postagem:

     

Detalhes adicionais:

Após decretarem a sentença ao réu no tribunal, o prisioneiro é levado ao presídio e deixado em uma cela individual.
Dentro desse limite, ele tem algumas liberdades como não precisar tomar banho, não precisar falar com ninguém ou comparecer a palestras e ainda, é dispensado de qualquer serviço obrigatório.
Isso se deve a que o condenado a pena de morte, paga com a própria vida a sua dívida com a sociedade e não com a privação de sua liberdade e posterior reintegração como no caso de condenações simples.

Dramatização. Não é uma imagem de uma execução real.
Geralmente o tempo da sentença até a execução é de uma semana, no qual, não notificam ao sentenciado o dia exato da sua execução...
Sendo-lhe anunciado algumas horas ou até minutos antes do momento derradeiro.

Dramatização. Não é uma imagem de uma execução real.

Por muito tempo, houve o mito de que isso seria um modo de atormentar o condenado, sendo uma verdadeira tortura ao preso, ouvir os passos dos guardas que ao passar ante a sua cela, significava que teria mais um dia de vida.
Em contra partida, se os passos parassem de soar em frente a porta da sua cela...
Nada mais incerto. O motivo real é evitar que o prisioneiro cometa suicídio.

Dramatização. Não é uma imagem de uma execução real.
Um dia antes da execução, os carcereiros testam o cadafalso com sacos de areia, medem a corda com base na altura do sentenciado para que ao cair, o condenado fique a mais ou menos meio metro do chão.

Dramatização. Não é uma imagem de uma execução real.

A queda varia entre 2.5 a 3 metros.
Um detalhe que foi tratado com ênfase pela mídia Japonesa, é o cheiro forte de incenso que emana por todo prédio.



Vídeo demonstrativo de uma execução (Dramatização) O vídeo é antigo, provavelmente da década de 50 ou 60 porém, o método continua praticamente o mesmo até hoje em dia.



Atualmente, existe um movimento contrário a esse método de execução e a discussão sobre a abolição total da pena de morte no Japão em sites, livros e televisão.

Os vídeos a seguir, mostram vários condenados a pena de morte, dentre eles Masumi Hayashi que envenenou  67 pessoas dos quais 4 morreram, Masashi Daidoji que usou explosivos contra várias empresas, inclusive a explosão de uma fábrica da Mitsubishi, o líder Shoko Asahara da seita Aum pelos assassinatos de Sakamoto, Taguchi, Ochida, Tomita, Karya além do ataque com gás Sarin no metrô de Tóquio.

A lista é grande e merecia mais detalhes que não cabem neste post.



Segunda parte:
http://www.youtube.com/watch?v=3rZEYX47CnE

Meditemos...

Abrax


Assinatura: Não vá embora ainda!Passe na página inicial AQUI e confira outros posts!
Os emoticons espalhados pelo blog são sonoros, clique neles mas cuidado com o volume!
Lista de todos os Smyles sonoros AQUI

5 comentários:

Anônimo disse...

pior que isso só no brasil. que o *suspeito* chega para assaltar voce ou eu ou um amigo seu ou um familiar seu ou outras pessoas de fora do circolo de sua amizade .so porque voce tosseu eles atirão ou voce ta nervoso coloca a mão no bolso para pegar a carteira pega no bolso errado eles pregão fogo em voce . voce não reage eles mete bala na sua cabeça so por diversão..suspeito porque não pode chamar bandido de bandido..no brasil a pena de morte e livre se mata que nem pingo de chuva...

Anônimo disse...

no brasil é livre a pena de morte bandidos matam as pessoas avontade..

william haddad disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
william haddad disse...

no Brasil iria faltar cordas.

Anônimo disse...

o cara, aNTES DE VC FAZER COMENTÁRIO PRECISA SE ALFABETIZAR